sexta-feira, 24 de agosto de 2007


A Escola de Atenas
Monumental fresco encomendado pelo Papa Júlio II a Rafael Sanzio para a Stanza della Signatura, Vaticano (1909-1910).
A pretexto da Filosofia e dos saberes clássicos, Rafael glosa as Sete Artes Liberais presididas pelas estátuas tutelares de Apolo (Filosofia Natural, artes) e Minerva (Filosfia Moral, sabedoria). Rafael não se preocupou em emprestar a cada um dos retratados um cunho de autenticidade. Como que a antecipar os cenários pomposos e o virtualismo hollywoodiano dos "filmes históricos", o pintor divertiu-se, emprestando a alguns dos figurantes traços fisionómicos alheios.
Dos muitos retratados neste fresco, recordemos:
-Platão, com o "Timeu", e rosto de Leonardo da Vinci
-Aristóteles, com a "Ética", e traços fisionómicos de Péricles
-Alcibíades, como Alexandre Magno
-Anaximandro de Mileto
-Anacreonte
-Averróis, com o indispensável turbante
-Diógenes
-Epicuro, como Baco
-Euclides, como Donato Bramante
-Heraclito, como Miguel Ângelo
-Hipátia de Alexandria
-Ptolomeu, como rei Ptolomeu I do Egipto
-Plotino
-Parménides
-Sócrates
-Pitágoras
-Xenofonte de Atenas
-Zenão de Eleia
-Zaratustra
-pintor Apelles, como Rafael
Leituras de apoio

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial